Pra quem quiser me visitar....
  • Provence: o mercado de Saint-Rémy
  • A hora do chá no Le Meurice, em Paris
  • Berlim, de bocado em bocado
  • “Redefinindo Sustentabilidade”: Parabere Forum chega à terceira edição debatendo a igualdade de gênero na gastronomia
  • Lenha no fogão: comida e memória no sul de Minas Gerais
  • Fazenda do Serrote: refúgio na divisa entre Rio e Minas Gerais
  • Restaurante Roberta Sudbrack fecha as portas no Rio de Janeiro: o fim pode ser uma ponte?
  • Padaria da Esquina, a nova casa de Vitor Sobral em São Paulo: minhas impressões
  • The Slow Bakery, o café
Quarta, 17 Fevereiro 2010

Locanda della Mimosa: (ainda) em plena forma

Danio Braga é um nome que dispensa apresentações. Ajudou a mudar a relação do carioca com a gastronomia através de seu lendário restaurante Enotria, em Copacabana. Fundou a Associação Brasileira de Sommeliers e trouxe o vinho pra mesa do brasileiro. Depois resolveu se mudar pra serra fluminense, onde, há anos, comanda a Locanda della Mimosa, pousada que abriga um dos restaurantes mais elogiados do país. Trata-se de uma das seis casas premiadas com as três estrelas do Guia Quatro Rodas, a única fora das capitais Rio e São Paulo.

No ano passado, foi recebida com grande espanto a notícia de que a Locanda della Mimosa estava à venda. Muito se especulou a respeito ao longo dos últimos meses. Mas o fato é que, enquanto a venda não se concretiza, Danio continua lá, comandando os fogões e fazendo as honras do salão. De certa forma, é triste ver a morte anunciada. Por outro lado, é bom perceber que não se permitiu que casa perdesse o brilho. Continua em forma e, ao que parece, assim será até o último dia.

O cenário é lindíssimo. Um belo casarão cercado pela estonteante paisagem da região. O salão mantém a elegância clássica, talvez um pouco datado, mas, nem por isso, menos elegante.O serviço segue impecável. Tudo como antes.

O que sai dos fogões mantém a excelência que sempre foi marca da casa. Pratos clássicos bem executados. Como o orechiette com alho, brócolis e pecorino. Simples e delicado. Igualmente delicados, mas ainda mais saborosos, os ravioles de peito de boi no vinho tinto com creme de feijões brancos e crocante de alho poró.

O rocambole de escalopes de vitela com ragu de feijões tinha personalidade e leveza ao um só tempo. O delicioso charuto de massa philo recheado com ossobuco vinha acompanhado de um purê de baroa que Robuchon poderia assinar.

Num anticlímax, as sobremesas estavam um tom abaixo do restante. Aliás, alguns tons abaixo. A cassata de chocolate com mousse de amêndoas era uma bobagem. A espuma de torrone com doce de figos se saiu melhor, mas também não chegou a brilhar. A decoração ultrapassada nem é preciso comentar; as fotos falam por si.

Antes de irmos embora, ainda fomos brindados com uma deliciosa surpresa: mousse de café com leite e chantilly e dadinhos de chocolate com marshmallow.

Peguei a estrada de volta pra casa feliz em perceber que a Locanda está exatamente como eu a tinha deixado da última vez em que lá estive, há alguns anos. Pelo menos, por enquanto.

 

Locanda della Mimosa – Alameda das Mimosas 30
Vale Florido - Petrópolis
www.locanda.com.br

Deixe seu comentário:
© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: